Só tem uma porta de saída: o confinamento! (MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 30 de Julho de 2021

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Estado de calamidade pública decretado em Goiás porque o ponto de congelamento do pequi é 15ºC!!! Barbaridade, estou com dó dos bezerros que começam a estação de nascimento nesse momento. Nessa semana gelada, algumas coisas nos chamaram a atenção. Vamos à listinha para a gente refletir no final? Segue:

Visita online Allflex: https://www.allflex.global/br/


1.    Muito ruído sobre China, ou seja, potencialmente mais habilitações para frigoríficos do Brasil estão em pauta (menos do que se tem dito por aí, mas um número relevante). Isso é fato, mas nada indica uma solução rápida desse tema que já vem sendo ruminado há mais de ano. As informações já estão com as
autoridades chinesas e agora é aguardar. Vai sair? Não vai sair? Quando? Ninguém sabe! Ninguém!!!

2.    Estamos com as maiores escalas dos últimos dois anos, principalmente em SP e GO (outros estados também avançaram, há relatos no MT, TO e PA). Aparentemente a oferta está mais contida no MS e MG, para citar dois exemplos. Incrivelmente as diárias de R$ 20,00 a 25,00/cab lotaram os confinamentos ao ponto de termos o mês de julho e agosto tranquilos para a compra de gado. Ocorreu exatamente o contrário do que a maior parte do mercado (incluso a mim) imaginava. O milho valendo ouro deu conta de atrair o boi (alguns dizem que “é melhor perder um pouco do que perder tudo”);


3.    Quem fez esse milagre? São dois os “artistas” autores e eles agiram de maneira premeditada: a estrondosa seca em curso, acompanhada de fortíssimas ondas de frio (com geadas sequenciais), sendo ambos eventos climáticos extremos, ou seja, os maiores das últimas décadas! Em resumo: isso mexe com a pecuária de um País onde o pasto é componente fundamental porque não há alternativa: ou o sujeito leva a boiada para o cocho (notadamente boitel) ou tem que vender para alguém que muito provavelmente vai fazer a mesma coisa. A combinação de seca severa e do frio intenso provocaram um cenário de terra arrasada em vários locais, o MS é um claro exemplo;

4.    Por outro lado, se a demanda interna segue longe de ser uma Brastemp, com certeza vai cumprindo seu papel sem grandes sustos. Adicionalmente, a exportação entrega margem interessante patrocinada pelo dólar resiliente (câmbio entre 4,90 / 5,50);

Quais são as conclusões? São duas:

1) o mercado escalado não tem a menor chance de subir no curtíssimo prazo, tão pouco exibe possibilidade de pressão contundente (pequenos testes foram timidamente iniciados na sexta). O canal de estabilidade prevalece e deve seguir em agosto, inclusive. Para que ele seja quebrado algum fato novo tem que ocorrer, seja para o bem, seja para o mal (vide o primeiro item da lista);
2) estamos antecipando o abate dos bois da transição confinamento 2021/águas de 2022 e isso tem o potencial de criar um enorme buraco negro de oferta, iniciando em algum momento entre o final de novembro/dezembro, podendo seguir até março de 2022. Disse isso na semana passada e a cada dia que passa essa sensação se torna mais consistente.

Até o próximo episódio! Saúde em excesso, Rodrigo Albuquerque

Disclaimer: nenhum conteúdo do Notícias do Front deve ser entendido como recomendação de venda/retenção/compra de qualquer ativo, título ou derivativo agrícola, ou ainda como recomendação de investimento, mas sim, deve ser entendido meramente como opinião pessoal na data da sua publicação.

CASO QUEIRA DESFRUTAR O CONTEÚDO DO EPISÓDIO ACIMA, NA FORMA DE ÁUDIO (PODCAST), BASTA APERTAR O PLAY:


Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário