Qual a velocidade máxima do bovino em 2019: R$ 160 ou R$ 170? (Blog MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 1 de Fevereiro de 2019

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Nada de novo no cenário de fundo: janeiro foi típico! O mercado interno travou, "ressacado", atingindo todos, do boi ao ovo. Tivemos pressão para alívio de pastos, com “descasque” de lotes, em função do veranicão (escala feita por lotes pequenos). A carne sangrou forte no atacado, notadamente no sem osso e no traseiro. Mas com a volta as aulas, os primeiros sinais positivos aparecem (dianteiro e no com osso), sinalizando que encontramos o fundo do poço. O varejo comprou mais barato, mas como de praxe, não repassou de imediato, vendo a sua margem decolar e não colaborando para o escoamento da produção da cadeia. A exportação não está mal, mas a choradeira abunda em função do novo patamar do dólar (abaixo de 3.70).

Apesar da sazonalidade ruim para os frigoríficos, de um início de mês mais frouxo, aos poucos, fomos migrando para uma situação de estabilidade real! Terminamos o primeiro mês com preços firmes porque o telefone das indústrias está igual cantor que abre show: toca pouco. Lotes maiores tem personnalité frequente. Há praças com falta de bovinos, pulos de abates, etc.

No início de mês, são esperados o retorno da constância das chuvas (o que aumentaria do poder do pecuarista em refutar pressão), além do “destravamento” da carne. Caso isto ocorra, o bovino poderá emendar uma pernada de recuperação (a cama para a recuperação esta feita, mas a carne tem que permitir). A indústria fará de tudo para que esta pernada seja manca (tirará o pé do abate? Férias?). Sim, ela está certa em preservar margem. Segue o jogo!

Além da tendência de curto prazo tento resolver um grande problema seu: qual preço de venda você deve colocar no orçamento/fluxo de caixa do ano? Esta questão lhe aflige? Não tenho o dom (nem o desejo e a capacidade) de adivinhar o mercado, mas tenho o dever de ter planejamento e de compartilhá-lo com você, ainda que meu pé fique dentro da peia. Qual a expectativa de piso e de teto para o boi em 2019? É o que lhe entrego. Até a próxima semana!

Fotos da semana: as fotos maravilhosas do gado preto são de Gabriel Junqueira, companheiro de batalha da pecuária bovina, lá para as bandas do MS. Além de excelente técnico, é um exímio fotógrafo. A foto do quarto onde a Barbie está “muntada” e onde há mais cavalos do que bonecas, é de uma genuína AgroKids, minha filha (detalhes no Instagram @noticias_do_front).

Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário