O curto prazo da arroba – 30.11.19 (MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 30 de Novembro de 2019

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Nesta semana tivemos dois mercados. O primeiro ocorreu até a manhã de quinta, sem novidades. Nosso fechamento semanal (quinta cedo) indicou a 18ª semana de alta, levando a média do Boi Gordo Brasil para R$ 207,32 a prazo (vaca com deságio médio de 7.42% - Dados Scot/IBGE). Esta foi a alta mais longa que presenciei e além de extensa foi também a mais intensa que já vi. O boi subiu praticamente R$ 64,00 desde 01/jan, sendo que 81% desta majoração se deu entre 31/10 e 29/11 (últimas 4 semanas).


Notamos algumas coisas importantes que não vinham ocorrendo até então, como uma redução brusca na competitividade com o frango e suíno. Além disto, a B3 trocou o ágio da curva futura por um deságio forte, passando a exibir preços menores do que o físico, que estava mais calmo, porém firme. Os fundamentos continuavam (oferta pequena, altas em diversas regiões, etc), enquanto o couro atingia o menor valor nominal da história. Tudo seguindo seu caminho.

Mas na quinta após o almoço (e na sexta), entrou em cena um “segundo mercado”. Pela primeira vez neste tsunami, a indústria tirou o pé dos abates, saiu das compras, ajudando a empurrar a B3 (limite de baixa). Notícias são ainda desencontradas, mas relatam preços em queda na China e dificuldade de escoamento no mercado interno. O cenário é nebuloso porque ainda há negócios bem firmes no físico, dependendo da necessidade. Há relatos de carne mais barata sendo lançada no mercado interno por um frigorífico em específico.

A dificuldade de compra segue. As indústrias esperam que o “boi iô-iô” (aquele que entrava e saía da escala) e o suposto boi represado entrem, acompanhados de vacas descarte com terminação acelerada (até vacas de leite estão na mira). O frigorífico sabe que se não fizer escala, esta empreita de conter a alta não funciona. No máximo a interrompe.

Adiantamos semana passada que a partir dos R$ 230,00/R$ 240,00 as águas a navegar seriam desconhecidas e que a estratégia de tirar o pé dos abates estava no radar. Estão chacoalhando a roseira a espera de frutos maduros. Você tem a sua estratégia ou vai fazer parte da estratégia de alguém? Nada de errado por parte da indústria. Bem vindo ao capitalismo selvagem. Os próximos dias serão vitais para saber se haverá êxito.

Da mesma forma que o mercado exagerou na euforia, pode exagerar no sentido oposto. Calma é mais do que fundamental.

Fotos em destaque: rodada à cavalo na Fazenda.

Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.