O curto prazo da arroba – 25.01.20 (MiniFront - blog e podcast)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 25 de Janneiro de 2020

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

“Para melhorar, tem que piorar primeiro”! Já escutou esta frase? Ele é o retrato do boi gordo deste janeiro! O cenário é o mesmo desde o início do mês: a incerteza quanto ao nível de retomada da demanda faz a indústria frigorífica colocar o pé no freio e freia sem dó...

Parece imperar a intenção dos frigoríficos baixarem muito os estoques de carne e neste sentido, trabalham com escalas curtas com tranquilidade. As reduções de preços nas ofertas do físico são um tônica e uma ferramenta usada para reduzir a compra a um nível crítico.


Desta sorte, a média Brasil reduziu a arroba do boi para R$ 178,06 a prazo, caindo pela segunda semana seguida (a vaca tem deságio médio de 6.48% em relação ao macho).

No vale tudo do mercado, até notícia velha e já bem conhecida a respeito de renegociação de contratos de exportação com os chineses apareceu na mídia não especializada. Tem muito interesse na jogada, criando um clima de caos, propositalmente, ao que parece.

O que existe de fato é que o mercado busca um nível de equilíbrio. Quando parece ter encontrado, vem mais uma mega-carga de carne barata no atacado (principalmente de um grande player) e bagunça tudo de novo. O atacado cai há quatro semanas, notadamente no traseiro (maior valor agregado), pois a população está descapitalizada. E não é só com a carne vermelha, porque o suíno e o frango trilham a mesma direção. A toada só é diferente com o ovo, que permanece em níveis de consumo recordes.

O varejo vai recebendo esta carne mais barata e recompõe sua margem rapidamente (o levantamento Boi & Cia da Scot mostrou alta para o consumidor final nesta semana)! Paradoxalmente, alguns hipermercados, adotam promoções agressivas para fluir o estoque (carne no cartão do hipermercado  com 30% de desconto, até 26/jan). Estas ações tem tido muito êxito. Colocou no preço, vende!

Frigorífico não consegue rodar com tamanha ociosidade nas nórias por muito tempo. Meu palpite: a combinação “promoção + redução abate (férias/falhas) + retorno exportação + volta às aulas” ajustará o estoque e dará equilíbrio ao mercado em 10 dias.


E aí, este caos faz sentido, pensando na curva de preços do ano apresentada pela B3? O Front premium esclarece (disponível para assinantes em 25/01 e para não assinantes a partir de 31/jan)! Até a próxima!

Fotos em destaque: tempo bom no centro-oeste, chuva!

CASO QUEIRA DESFRUTAR O CONTEÚDO DO EPISÓDIO ACIMA, NA FORMA DE ÁUDIO (PODCAST), BASTA APERTAR O PLAY:

Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.