O curto prazo da arroba – 23.10.2020 (MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 23 de Outubro de 2020

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Na última edição falamos muito do mercado futuro e desta vez o destaque é a carne no mercado interno! Porém, antes de entrar no tema central, vamos voltar um pouco à B3, pois o assunto tem tudo a ver com o pilar da oferta de gado.

Você deve se lembrar que comentamos sobre o descolamento do contrato futuro novembro em relação ao mês presente e que alertamos para o fato do “indicador ter que subir muito forte ... para sustentar tamanho ágio em tão pouco tempo”. Pois é... o ajuste natural (e saudável) previsto foi exatamente o que ocorreu nos últimos pregões da semana, com o contrato nov/20 (BGI X20) tendo perdido sustentação e ganhado volatilidade muito grande.

Compre online: https://www.allflex.global/br

Este ágio do novembro sobre o outubro potencializa a desidratação da oferta imediata, que já é pequena, ao incentivar a postergação do abate para o mês seguinte, dando mais firmeza ao curto prazo. O mercado físico está firme e tende a firmar mais, mas isto não dá permissão para a bolsa colocar o carro na frente dos bois, ficou claro. De toda a forma, tudo isto junto e misturado, sinaliza que o bovino segue seu caminho de fortaleza.

Quanto ao pilar da demanda externa, podemos dizer que ela está entregando o que se esperava dela, ou seja, enxugando a produção, fato que acaba por contribuir para o quadro de sustentação de preços do atacado bovino, tema fundamental deste.

Estamos passando ilesos por este meio de mês, em tese, pior momento para este mercado interno. Aliás, ilesos não! A carne tem experimentado preços recordes no atacado, dia após dia (o CEPEA e a AgroBrazil estão no seu recorde nominal histórico). O drive de escassez de produto é o determinante, mas não é só isto. Até onde a carne pode ir? Resposta: https://gestaoderiscoempecuaria.com.br/noticias/noticia/atacado-de-r$-19-a-2200kg-e-loucura-front/

O suíno, por exemplo, vem numa escalada de preços, tendo subido 70% nos últimos doze meses (fonte: Scot). Imagine a perspectiva de agora em diante para as granjas de suínos e aves com o preço do milho namorando R$ 80,00/sc em SP? Obs.: por falar em milho, a relação de troca com a arroba desabou, tendo saído de 4,2 sacas/@ para 3,5 sacas/@ nos últimos 30 dias, abrindo uma perspectiva muito sombria para oferta de gado no início de 2021...


Entendemos que este movimento do atacado, agora potencializado pela virada de mês, deve permitir mais rodadas de valorização da arroba no curto prazo para a praça paulista, e principalmente para estados em que o diferencial de base ficou muito aberto, exemplo de GO.

Firmeza sim, mas cuidado para não exagerar na dose de euforia, colocando o carro na frente dos bois! Prepare-se para a volatilidade de mercado e para as fortes emoções reservadas para as próximas 4 semanas, tal como foi dito aqui na semana passada.

O que ocorreu na B3 nos últimos pregões da semana promete ser apenas uma amostra grátis do que poderemos ter pela frente. Segue o jogo!

CASO QUEIRA DESFRUTAR O CONTEÚDO DO EPISÓDIO ACIMA, NA FORMA DE ÁUDIO (PODCAST), BASTA APERTAR O PLAY:



Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.