O curto prazo da arroba – 08.02.20 (MiniFront - blog e podcast)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 8 de Fevereiro de 2020

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Imagine que seu time saiu perdendo por 2x0 até 10 minutos do primeiro tempo, mas conseguiu empatar aos 20 min de jogo. Este é o boi gordo de 2020.
A média da arroba do Boi Brasil caiu quase R$ 7 nas primeiras semanas do ano, mas recuperou R$ 6,96 nesta última, cravando R$ 183,95 a prazo (deságio de 7.3% para vaca, dados Scot Consultoria/IBGE, ambos adaptados). Em resumo: voltamos para o jogo!

Terminamos o último episódio dizendo que o gatilho para interromper a pesada sangria sofrida pela arroba seria a carne voltar a subir, e que estávamos muito perto disto, dada a magnitude do enxugamento dos estoques (pé no freio que dos abates pós-reveillón).


Foi exatamente o que ocorreu. O atacado com osso subiu forte (mais de 10% na semana) e o sem osso também (em menor intensidade). Além da produção violentamente reduzida, houve melhoria na demanda (virada de mês) e um endurecimento da oferta, fruto do farto nível de chuvas de janeiro (o boi gordo tem pouco volume e parte dele está retido nos pastos).

A exportação de janeiro revelou perda de fôlego sobre dezembro (fato normal), mas é positiva pois mostra um aumento de 14% sobre o janeiro passado e preço 40% maio em reais. Falando nisto, o dólar estabeleceu seu novo recorde nominal, acima de 4.30 e a vontade de abater dos frogríficos exportadores começa a retornar.


A demanda interna está absorvendo o atacado com osso mais caro (R$ 13,50/kg ou um pouco mais) e isto melhorou muito a margem da indústria que não exporta, fato que cria um ambiente de pressão positiva para a arroba. Dispensamos qualquer sinal de euforia, dado o mais alto grau de incerteza global que estamos vivenciando nos mercados globais devido ao coronavírus. A força do pescoço do bovino é maior do que tudo isto, ao menos neste momento.

É possível fazer alguma previsão sobre a China em termos de saúde pública e/ou quanto à sua participação na cadeia de suprimentos global? E a carne do Brasil? As respostas estão no Front, disponível para os assinantes em 08/fev (para os não assinantes, apenas em 14/fev). Até a próxima!

Fotos em destaque: palestra em Cuiabá para a Silveira Consultoria, no Evento “Boi que deixa dinheiro”, ocorrido na última terça-feira, dia 04/fevereiro, em Cuiabá/MT; e a carne que não tem erro, da qual sou fã e sintetiza o trabalho do amigo Roberto Barcellos.

CASO QUEIRA DESFRUTAR O CONTEÚDO DO EPISÓDIO ACIMA, NA FORMA DE ÁUDIO (PODCAST), BASTA APERTAR O PLAY:



Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.