O curto prazo da arroba – 01.08.20 (MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 1 de Agosto de 2020

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

Quem é leitor assíduo do Front, sabe que na maioria dos anos a imagem de um ipê amarelo florido e exuberante, com aquela singular “cor 3D” (que salta aos olhos) coabita a mente dos pecuaristas com a arroba em aquecimento. Depende um pouco, ano a ano, mas em geral, agosto é o mês desta doce coincidência para os olhos e o bolso do boiadeiro. Obs.: o leitor Felipe Augusto de Souza Gomes Cardoso, lembrou-se disto e me enviou a foto destaque, lá de Chupinguaia, Rondônia. Agradecimento especial para ele!

Este ano está melhor ainda: a arroba aquece há semanas e nada no radar de curto prazo, para a próxima quinzena, indica alteração no cenário em tela. Terminamos a sexta com o Indicador Esalq/B3 de R$ 228,30 a vista, que é o sétimo valor nominal mais alto da história da arroba do Brasil, ficando atrás apenas dos seis indicadores (de 22 a 29.11.2019).


PEDIDO ON LINE ALLFLEX: http://allflex.rds.land/orcamento-identificacao


A oferta segue curta, incrivelmente curta. A demanda interna segue combalida, mas surpreendendo, sabedora que não atende mais todas as pessoas no Brasil, afinal de contas, a parcela da população pressionada economicamente já migrou para o frango e outras alternativas há tempos. Desta forma, o atacado bovino ignora a já elevadíssima competitividade do frango e se aquece mais, com a virada do mês e dia dos Pais. Os frigoríficos de mercado interno seguem ativos, espremidos em margem, mas o pulso deles ainda pulsa.

Os frigoríficos de mercado externo seguem desfrutando de uma margem excelente, demandando o ótimo volume dos ávidos importadores, leia-se principalmente a Ásia.

Nesta "tuada", novas máximas apareceram na semana, ou seja, a galinha Filomena voltou a encher o ninho, rasgando seu canto sertão a fora. Tudo bem, que para cada novo ovo que aparece no ninho da arroba, aparecem dois no do bezerro, mas fazer o quê?

Vale a dica: não se embriague com o momento, use-o para se proteger. É fato que brotaram negócios de boi a termo durante a semana. Olho atento. A pergunta que não quer calar passa a ser: qual o limite da arroba?

É muito difícil responder, mas ouso dizer que está em curso uma radical mudança na estrutura que precifica a arroba no Brasil, por diversos motivos. Em consequência, da mesma forma que o até então intangível R$ 230/@ foi se tornando realidade em 2019, a história pode se repetir, desta vez com R$ 245/@, ainda que seja pouco provável (por ora). Não estou dizendo que vai lá, só estou posicionando a próxima resistência que vejo no radar, caso os R$ 230/@ se consolide no físico de hoje (isto está em curso).

Mais detalhes, conversaremos com EXCLUSIVIDADE junto aos assinantes nos próximos dias. Antes de terminar, saúdo a chegada ao Front de mais um parceiro, que recomendo e que uso: os elementos identificadores AllFlex. Seja bem vindo!

Até a próxima semana!

CASO QUEIRA DESFRUTAR O CONTEÚDO DO EPISÓDIO ACIMA, NA FORMA DE ÁUDIO (PODCAST), BASTA APERTAR O PLAY:



Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.