Balizador GPB 3.0, seu novo e indispensável companheiro (Blog MiniFront)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 26 de Maio de 2018

Companheiras(os) que carregam o pó da viagem,

Quem diria? Perdemos liquidez na cadeia bovina em 2017 e novamente agora, com a “delação do caminhão”, depois de um ano! As consequências da greve dependem de sua duração/intensidade (as próximas horas são fundamentais, após o acordo anunciado na noite de quinta, pois insurgências continuam -no fechamento desta edição-). Restrição de vendas de alimentos aparecem por aí. A tendência natural será o atacado e varejo incrementarem o ritmo de recuperação de preços, que já vinham cursando. Eles estão ao lado do elo que não vai mudar seu comportamento imediatamente (o consumidor vai continuar comendo carne).

Quanto a arroba, o fato vem em hora muito “ruim”. Ele não muda os fundamentos, por isto, cremos que será menos agressivo aos preços do que no episódio de perda de liquidez de 2017. De toda a forma, é final de safra e represar vendas não é nem um pouco desejável. O impacto no boi gordo, vai depender do ritmo de retomada das vendas por parte dos próprios pecuaristas e da duração dos impedimento dos abates. Após a retomada, caso a venda não seja compassada, há risco de pressão. Difícil dizer agora! Até então, digo que está mais para postergar a recuperação da arroba do que para “afundar” o bovino. Porém, é muito, muito preocupante. Estamos com problema sério em fábricas de suplementos, em confinamentos, em leiterias, além de um potencial mortal em granjas (suínos/frangos).


Os animais sofrem e cada elo sofre de um jeito, com o bloqueio de entradas/saídas. Quem tem pouco estoque (de dinheiro e insumos) vai sofrer muitos prejuízos. Toda atenção é pouca. A perda de “liquidez de entrada/saída” pode se transformar em problema de liquidez financeira para quem não tem “café no bule”. O objetivo aqui é entender as possíveis consequências do movimento, do ponto de vista do mercado.

Enquanto tínhamos o mercado rodando (até dia 23), vimos que a inversão de tendência do último BeefRadar, realmente antecipou nosso futuro: interrompemos a “perna” de baixa da arroba! Depois de um mês e meio, a arroba do Brasil, assumiu a tendência de estabilidade com viés positivo (+R$0,24/@ na semana). Os estados de GO, sul TO, Triângulo e Rio Grande do Sul, puxam a fila da alta (Scot/IBGE, adaptado).

Leia no Front tradicional, qual a diferença entre indicador de preços e balizador de preços e porque você precisa de ambos. O movimento dos caminhoneiros é um belo exemplo do ponto de vista de mobilização. Porque não nos mobilizamos pelo balizador e por melhorar o Indicador, pecuarista? Agora você tem os dois! Até a próxima semana!

Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.