70% da safra de capim já está no retrovisor (Blog Front)

  • Por Rodrigo Albuquerque - 28 de Fevereiro de 2019

Companheira(o) que carrega o pó da viagem,

O ano só começa depois do Carnaval? Que nada... O capim está desfilando produzindo há 120 dias. Quem sai na rua agora é o bloco do curral e a ala das baianas balanças, afinal de contas, a gestão deve seguir firme na avenida pecuária.    

1)    COMENTÁRIO DA CABINE DE COMANDO
Aos poucos o cenário (levemente) construtivo de preços se fortalece e aumenta sua abrangência. Ajustes positivos relevantes são vistos em GO, MT, SC, MA, SP, MG, PR, PA, RO e TO. Apenas o RS e a BA destoam e recuam preço... Pela terceira semana seguida, a média Brasil do boi gordo recuperou valor (desta vez cerca de R$ 0,50), batendo os R$ 143,72/@ na condição a prazo (dados Scot/IBGE, adaptados).

A maior firmeza do mercado decorre da combinação dos seguintes fatores: oferta reduzida (após o retorno das chuvas, mas há exceções, cada vez mais raras), consumo fortalecido (temos uma virada de mês repleta de feriados), produção desacelerando (pulos de abate, escalas incompletas e feriados) e exportação se apresentando como uma excelente via de escoamento em 2019. Não vejo como este cenário pode mudar no curtíssimo prazo. Segue o jogo!

2)    RECADO DA “MÃE DINAH”
Vai ter comprador de boi pulando como nunca no Carnaval: pulando abates devido às escalas incompletas. Cuidado: quem exagera no pulo da folia, acaba tendo uma dor de cabeça danada depois do fim da festa. Onde estará o bovino na quarta de cinzas? Dá-lhe Engov!!!

3)    BEEFRADAR (a estabilidade dá mais espaço para o percentil de alta)
15% queda | 35% estabilidade | 50% alta

4)    HORA DO QUILO
“A última vez que acompanhei um abate, eu era um menino”, frase de um pecuarista de recria/engorda... Só para a gente nunca se esquecer que a cadeia pecuária é desfacelada...

5)    TO BEEF OR NOT TO BEEF, A SUA REFLEXÃO SEMANAL
“Esse negócio de optar entre o Funrural por desconto em folha ou por desconto no abate, eu não estava sabendo”, frase desta semana de um pecuarista de recria/engorda que possui aproximadamente 5.000 cabeças... Só para a gente nunca se esquecer que a comunicação na pecuária é algo muito complicado mesmo... Menos é mais, sempre! Menos só não é mais na economia, prova disto é o PIBinho de 2018: +1.1%... Vamos que vamos.

6)    O LADO “B” DO BOI, A SUA CRÔNICA SEMANAL DE GESTÃO DE RISCO EM PECUÁRIA
Dizem que a agricultura é uma atividade de giro rápido e a pecuária de giro lento... Ledo engano... Quem está na pecuária e pensa em continuar, já tem seu ritmo de trabalho muito parecido ao da agricultura. Esta turma faz uma pecuária de giro anual e tem sua safra passando tão rápido quanto a da agricultura. Aliás, safra de boi (ou de vaca/bezerro) é o primeiro conceito que deve ser absorvido. A safra de boi deriva da safra de capim, a qual por sua vez, deriva da safra de chuva. Uai... Boi tem safra? Capim tem safra? Sim, até piscicultura tem safra!


A primeira safra da agricultura está sendo ou já foi colhida e a do capim não fica muito atrás. Explico melhor: boa parte das regiões pecuárias tem cerca de sete meses de chuva com capacidade de produzir massa de capim. Este período varia, mas em geral situa-se entre o início de novembro e o final de maio. Em GO, nossa safra (de capim e boi) inicia-se em 01/nov e vai até 31/out (do ponto de vista produtivo). Estamos, portanto, no final do 4º mês da safra 18/19.

A produção de capim (que é a maior safra agrícola brasileira), é a base da maioria dos sistemas pecuários, mesmo os que tem engorda intensiva. Embora o correto dimensionamento da produção de forragem na maioria das vezes não é realizado nas fazendas, em algumas ele é estimado com boa acurácia. Vários centros de pesquisa dimensionam a produção de massa, cortando, secando e pesando a massa verde produzida, convertendo-a em toneladas de matéria seca por hectare ao ano (matéria seca seria o capim verde, retirando-se dele a umidade, o que é feito normalmente com o uso de estufas/micro-ondas/secadores).

Pode-se dizer que uma produção razoável/boa de um braquiarão seria de 9,5 toneladas de matéria seca por hectare/ano, o que daria cerca de 50 toneladas de massa verde, em 10.000 metros quadrados de pastagem, produzidas ao longo de 12 meses. Esta produção não é distribuída de maneira uniforme (como você certamente sabe), porque a produção depende (“agronomicamente” falando) de luminosidade, temperatura, umidade e fertilidade do solo, de modo que em boa parte das regiões produtoras do Centro-Oeste, a distribuição da produção mais frequente indica que cerca de 65 a 75% (ou 2/3) da massa a ser produzida na presente safra já deve ter sido entregue ao seu cliente: o bovino! Percorremos 55% da extensão de tempo da safra, mas como há uma forte concentração da produção entre novembro/fevereiro, dá para dizer que a maior parte dela já se foi.

Se a maior parte do volume já foi entregue, a conta fica mais “adiantada” ainda, quando pensamos em qualidade de forragem. De agora para frente, além de haver queda de volume produzido, há uma queda mais drástica ainda na qualidade nutricional (energia e proteína). Em outras palavras: as capineiras, até agora, produziram excelente volume, com boa qualidade de nutrientes. De agora em diante, vão produzir volume bem menor e com uma qualidade nutricional mais reduzida ainda. O capim virou a chave, desligando o modo “volume/qualidade”. Gosto de dizer que o “filet mignon” da safra de capim acabou (já tem muito “braquiarão” com pendão de semente emitido). Se antes o foco do manejo de pasto era oferecer massa com qualidade e quantidade, agora passa a ser manter “facho” de capim para a seca que se avizinha...

E o que isto significa para os seus animais? Se eles não engordaram satisfatoriamente durante do “filé mignon” do capim, muito mais dificilmente o farão de agora em diante. E aquele plano que você fez (ou deveria ter feito) em novembro passado? Em nossa humilde opinião, é chegada a hora de dar uma olhada no painel de bordo, tal como faz o piloto em voo de cruzeiro: é hora de pesar seu gado. Que tal pular (o Carnaval) em frente a uma balança eletrônica, lendo chips de identificação individual ou brincos SISBOV?

As vantagens de se fazer este manejo são: 1. checagem do ganho de peso vivo (GPD) obtido para cada categoria animal; 2. checagem da eficácia do protocolo nutricional adotado; 3. mudança de perfil de suplementação, mais adequada para a nova fase de produção de forragem, de acordo com o protocolo nutricional anual (o objetivo da suplementação passa a visar a manutenção da quantidade de ingestão de um capim menos nutritivo e palatável, o que só será conseguido com a alteração na composição do produto, sempre alinhado ao plano de ganho de peso anual de cada categoria); 4. Poderemos fechar o desempenho obtido com o uso do suplemento anterior e balizar o início da aferição do GPD com o próximo produto; 5. aplicação do reforço do vermífugo e/ou de outros produtos recomendados por um veterinário, pois o período de ação da maioria das moléculas (endo e ectoparasitas), geralmente aplicadas na vacina de nov/2018 já se esvaiu; 6. possibilidade de apartação de animais nos lotes que se apresentam não homogêneos; 7. apartação dos animais doentes, com problemas crônicos e principalmente dos animais com baixa performance produtiva (justamente no momento em que o custo de arroba colocada deve aumentar, elevando em grande medida a assertividade da suplementação nutricional e o seu resultado econômico).

“Rodrigo, a minha safra de capim está só começando, o que eu faço”? Se este é o seu caso, recomendo (para que você não seja atropelado novamente pelo “Sr. Capim”), que você comece agora mesmo a pagar os boletos que ele emitiu para você nos últimos anos e que se encontram atrasados (ensinamento do Prof. Flavio Rezendo do Apta). Em outras palavras: comece a repor os nutrientes que foram extraídos do seu solo e tome muito cuidado porque o próximo atropelamento pode ser fatal! Bom Carnaval e uma ótima semana de diversão (no curral)!

Fotos em destaque: fazenda Buritis e Marca, Itapirapuã/GO (detalhes no Instagram @noticias_do_front).

Artigos Relacionados

Comentários ( 0)

Escreva um comentário

Next Sites

Oops... Página não encontrada.

Desculpe, mas a página que está a procura não existe.